O Ministério Público holandês anunciou que vai processar por homicídio com intenção terrorista o principal suspeito do tiroteio num elétrico em Utrecht (centro da Holanda) na segunda-feira, que causou três mortos.

“O suspeito dos assassínios de 18 de março na praça de 24 de outubro em Utrecht comparecerá amanhã (sexta-feira) perante um juiz de instrução” por “assassínios múltiplos ou homicídio com fins terroristas, tentativa de assassínio e ameaças com fins terroristas”, indica o Ministério Público num comunicado.

O tiroteio causou três mortos e sete feridos, três dos quais em estado grave, segundo o último balanço. Os mortos são uma mulher de 19 anos e dois homens de 28 e 49 anos, todos da província de Utrecht.

O suspeito, de 37 anos, foi identificado como Gokmen Tanis, nascido na Turquia e já referenciado pela justiça por roubo e violação.

O homem foi detido ainda na segunda-feira após uma perseguição de oito horas e a polícia apreendeu uma arma de fogo.

O inquérito em curso deve determinar se “o acusado agiu unicamente por um motivo terrorista ou se os seus atos tiveram por base problemas pessoais associados a ideias radicais”, precisou a procuradoria no comunicado.

Os interrogatórios de um segundo suspeito, um homem de 40 anos detido na terça-feira, continuam “para determinar se desempenhou um papel de apoio”, indicou ainda.