Ashish Jha, médico e diretor do Harvard Global Health Institute, respondeu a várias questões sobre o novo coronavírus, num direto de Facebook, esta quinta-feira, e confirmou a notícia que ninguém quer ouvir:

Isto não é um vírus que vá embora em duas ou quatro semanas, ou mesmo seis semanas. Vamos viver com isto, de uma forma ou de outra, durante 12 ou 18 meses, se tivermos sorte".

O médico faz esta previsão tendo em conta o tempo que vários cientistas estimam demorar até que tenham uma vacina pronta para usar, de forma massiva, no ser humano. 

Quando tivermos a vacina efetiva e amplamente desenvolvida, podemos pôr um fim a esta pandemia. Até lá, vamos continuar a ter que nos confrontar, e a lidar, com o vírus".

As declarações, pouco animadoras para quem já só quer retomar uma vida normal, estão em linha com aquilo que o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde disse em fevereiro: de facto, uma vacina eficaz pode demorar 18 meses a chegar ao mercado.

Ainda assim, é de destacar que tanto a China como os Estados Unidos já anunciaram que vão iniciar testes em humanos de uma vacina contra o novo coronavírus.

Além disso, há dezenas de cientistas em diferentes partes do mundo a unir esforços para criar um antídoto que consiga ditar fim à pandemia, o mais rapidamente possível.

Emanuel Monteiro