O ministro da Saúde da República Democrática do Congo (RDCongo) declarou hoje o fim de uma epidemia de sarampo que ao longo de 25 meses provocou a morte a mais de 7.000 crianças no país.

Ao fim de um mês constante, podemos dizer que esta epidemia foi eliminada em todo o nosso território”, afirmou o ministro da Saúde, Eteni Longondo, numa conferência de imprensa.

O ministro acrescentou que “a epidemia de sarampo estava a progredir silenciosamente”, mas que foi “mortífera”.

Foram precisos mais de 7.000 dos nossos filhos”, disse ainda.

Longondo sublinhou que a vacinação de rotina entre crianças será continuada de forma a evitar um ressurgimento da doença.

Os primeiros casos de sarampo desta epidemia na RDCongo foram detetados em julho de 2018.

Em janeiro deste ano, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que tinha registado “mais de 335.413 casos suspeitos e 6.362 mortes”.

Atualmente, a RDCongo enfrenta a pandemia da covid-19, que matou 251 pessoas e infetou quase 10.000 desde março, assim como um surto de Ébola no noroeste do país, que já provocou 43 mortes.

/ JGR