A campanha de vacinação contra a covid-19 na Alemanha terá evitado mais de 38.000 mortes, segundo um estudo do Instituto Robert Koch, divulgado neste sábado.

De acordo, ainda, com os investigadores, mais de 700.000 infeções e 20.000 internamentos em cuidados intensivos terão sido igualmente evitados.

Os media alemães difundiram hoje que o estudo, que foi feito com base em modelos matemáticos, garante que a vacina teve um “benefício excecional” e que a campanha de vacinação foi “altamente eficaz”.

Os dados que apresentamos confirmam o benefício excecional da vacinação contra covid-19 nos primeiros 6,5 meses da campanha de vacinação na Alemanha em 2021”, realça o documento.

O estudo garante também que a “alta eficácia” da campanha de vacinação mostra de “forma convincente” que a vacina “é a saída para a pandemia”.

O instituto insiste, por isso, que se deve aumentar “o mais depressa possível” a percentagem de pessoas totalmente vacinadas na Alemanha para minimizar os efeitos de uma quarta onda que já começa surgir no país.

Segundo as autoridades de saúde, foram contabilizados 3.206 novos casos nas últimas 24 horas, assim como 24 novos óbitos.

A Alemanha contabilizou já um total de 3.787.639 infetados e 91.778 mortes.

De acordo com o governo alemão, 62,2% da população (51,7 milhões de pessoas) recebeu pelo menos uma dose da vacina, enquanto 54,1% (45 milhões) já recebeu as duas doses.

Agência Lusa / CM