A Bélgica atingiu esta quarta-feira a meta de 70% dos adultos vacinados com pelo menos uma dose da vacina anticovid-19, havendo 6,4 milhões de pessoas já com a primeira inoculação, acima da média europeia e superando o objetivo comunitário.

Dados hoje divulgados pelas autoridades de saúde belgas na sua página da Internet relativa à vacinação revelam que um total de 6.483.736 pessoas receberam já a primeira inoculação contra a covid-19, o que em termos percentuais equivale a 70,2% dos adultos residentes na Bélgica com alguma proteção contra o vírus.

A meta estipulada pela Comissão Europeia era que 70% dos adultos europeus estivessem vacinados até ao final do verão.

No que toca à vacinação completa, 3.610.949 residentes na Bélgica estão totalmente protegidos, o equivalente a 39,2% dos adultos.

Ao todo, foram já administradas 9,87 milhões de doses de vacinadas anticovid-19, segundo os dados das autoridades sanitárias belgas, que datam desta terça-feira.

Por regiões, 74% dos adultos da Flandres já receberam pelo menos uma dose da vacina, percentagem que é de 69% na Valónia e que baixa para 51% em Bruxelas.

Todas as regiões da Bélgica estão já a vacinar pessoas com mais de 18 anos, sendo que os adolescentes (com mais de 16 anos) podem registar-se na lista de espera para serem chamados caso surjam vagas.

A ferramenta ‘online’ do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) para rastrear a vacinação da UE, que tem por base as notificações dos Estados-membros, revela que até ao momento uma média de 57,3% da população adulta da UE já recebeu pelo menos uma dose da vacina, enquanto 34% dos adultos estão totalmente inoculados.

A média de primeiras inoculações na Bélgica está, assim, acima da média comunitária.

Em termos absolutos, foram já administradas na UE cerca de 328 milhões de doses de vacinas, de 377 milhões de doses recebidas pelas farmacêuticas, dados estes que podem ainda estar a ser atualizados à medida que as notificações dos países chegam ao ECDC.

Estão aprovadas na União Europeia quatro vacinas anticovid-19: a Comirnaty (nome comercial da vacina Pfizer/BioNTech), Moderna, Vaxzevria e Janssen (grupo Johnson & Johnson).

Em Portugal, o coordenador da 'task-force' para o plano de vacinação contra a covid-19 admitiu hoje um atraso de até 15 dias na meta de 70% de população vacinada com a primeira dose, por causa de adiamentos nalgumas entregas de vacinas.

“A meta dos 70% de primeiras doses prevista para 08 de agosto pode atrasar-se até 15 dias”, disse o vice-almirante Gouveia e Melo, que falava durante uma audição na Comissão Parlamentar de Saúde.

O responsável apontou a redução de vacinas por parte de duas marcas, sem especificar, assim como diversos adiamentos que têm acontecido.

“Estou a fazer o que posso para otimizar o ‘stock’”, afirmou o responsável.

Na comissão parlamentar, o vice-almirante Gouveia e Melo disse ainda que há cerca de 47% da população vacinada com a primeira dose e 30% com a vacinação completa e adiantou que o ritmo de vacinação tem sido afetado por falta de vacinas suficientes.

/ RL