Valência, Múrcia e Castela-Mancha têm estado debaixo de chuvas torrenciais que já provocaram o transbordo de rios e alguma destruição, obrigando à evacuação de vários espaços. Até ao momento há registo de quatro mortes e 40 resgates.

A quarta vítima mortal foi avançada pela agência EFE, que dá conta de um morto numa viatura submergida, na cidade de Granada. Esta é a segunda confirmação do dia.

A terceira vítima mortal, também confirmada esta sexta-feira, estava em Almería, numa informação que foi confirmada pelo primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez.

Pelo menos 150 pessoas tiveram de ser retiradas de casa, por causa dos efeitos da queda forte de água dos últimos dias no centro do país e devido à subida das águas do rio Clariano, em Ontinyent, escreve o El Pais.

A cair desde segunda-feira, a chuva forte já provocou a morte de um casal de idosos. O homem e a mulher, de 70 anos, estavam no interior de um carro que foi arrastado pela força das águas esta quinta-feira.

O acidente aconteceu em Caudete, na região de Albacete, uma localidade com cerca de 10.000 habitantes, e foi confirmado pelo serviço de emergências no Twitter.

O ajuntamento de Almería também confirmou a morte, adiantando que se trata de um homem que morreu depois de o veículo em que viajava ter ficado preso num túnel. O túnel ficou inundado em poucos minutos devido à grande quantidade de chuva, disse a autarquia na sua conta Twitter.

Um polícia conseguiu salvar duas outras pessoas que se encontravam na viatura, mas um dos ocupantes ficou encarcerado no automóvel, disse o presidente da Câmara de Almeria, Ramon Fernandez-Pacheco, à rádio Cadena Ser.

As autoridades já tiveram de resgatar quarto dezenas de pessoas e obrigar outras 150 a abandonar as suas casas por segurança.

O mau-tempo está a afetar sobretudo a comunidade valenciana. Em Font de la Figuera, uma localidade viu os caminhos-de-ferro transformarem-se num autêntico rio, depois de terem caído sobre a zona cerca de 200 litros de água por metro quadrado.

Um pequeno tornado também afetou a região durante a última noite que, embora não tenha causado ferimentos na população, provocou a queda de árvores, semáforos, janelas e ainda telhados. Foram registadas rajadas de vento na ordem dos 104 quilómetros por hora.

Por causa do temporal, quase 200 municípios de Valência e Alicante foram obrigados a fechar serviços, como escolas, afetando mais de 338 mil alunos.