A bebé britânica que nasceu com o coração fora do corpo e foi operada três vezes para o colocar no lugar, teve alta após 14 meses no hospital.

O caso de Vanellope Hope Wilkins é inédito no Reino Unido. De acordo com a BBC, Vanellope nasceu a 22 de novembro no Glenfield Hospital, em Leicester, e após as operações foi transferida, em maio, para o Centro Médico Nottingham's Queen para ficar mais perto de casa.

Ao longo dos 14 meses, a bebé chegou a ir dormir algumas vezes a casa, mas só agora teve alta em definitivo.

A mãe, Naomi Findlay, afirmou ao jornal que é "absolutamente espetacular" e um "grande alívio" ter a filha em casa, mas confessou que apesar de "excitante" também é "assustador", até porque Vanellope precisa de cuidados 24 horas por dia e depende de um ventilador.

"Tem sido uma jornada emocional incrivelmente longa", acrescentou.

Segundo a BBC, Vanellope deveria ter nascido no Natal, mas veio ao mundo um mês mais cedo, através de uma cesariana, para reduzir os riscos de infeção e assim aumentar as hipóteses de sobrevivência. Além do coração fora do peito, a bebé nasceu sem esterno, o osso que compõe a caixa torácica, onde fica o coração e os pulmões.

No momento da cesariana, cerca de 50 profissionais encontravam-se na sala de cirurgia, incluindo obstetras, cirurgiões cardíacos, anestesistas, neonatalogistas e parteiras.

O Glenfield Hospital não conhece outro caso de ectopia cardíaca, a não ser o dela, em que o recém-nascido sobreviveu. A ectopia cardíaca é uma condição extremamente rara, com apenas alguns casos registados em cada um milhão de nascimentos. A maioria desses bebés morre logo após o parto.