Há um novo capítulo de tensão entre a Venezuela e o Brasil. Um derrame de crude está a chegar a mais de 130 praias brasileiras e o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, diz que o desastre ambiental teve origem no país vizinho e em mão criminosa.

Mas quem sofre no imediato são mesmo os pescadores venezuelanos.

O lago Maracaibo, outrora um paraíso de águas claras, tranformou-se em algo a que os pescadores venezuelanos nunca tinham assistido.

A negritude do crude libertado dos oleodutos cheios de fissuras e das plataformas degradadas enche agora o Maracaibo e obriga os pescadores a procurar águas mais limpas, o que se revela tarefa impossível.

A crise que a Venezuela enfrenta, agravada pelos incontroláveis derrames de crude, ameaça, agora, e em larga escala, a atividade dos pescadores.