O autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, regressou esta segunda-feira a Caracas, depois de um périplo por vários países da América do Sul. 

Imagens da televisão venezuelana mostraram o líder da oposição a chegar ao aeroporto de Caracas. 

Estamos aqui na Venezuela e vamos continuar a trabalhar", disse, após o desembarque.

Nicolás Maduro tem insistido que Guaidó deverá "prestar contas nos tribunais" quando regressar ao país.

Os Estados Unidos exigiram um regresso seguro de Guaidó à Venezuela e já avisaram que vão dar uma rápida resposta caso se verifiquem ameaças contra o líder da oposição venezuelana.

A crise política na Venezuela agravou-se em 23 de janeiro, quando o líder da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, se autoproclamou presidente interino e declarou que assumia os poderes executivos de Nicolás Maduro. Guaidó, de 35 anos, contou de imediato com o apoio dos Estados Unidos e prometeu formar um governo de transição e organizar eleições livres.

Nicolás Maduro, 56 anos, no poder desde 2013, recusou o desafio de Guaidó e denunciou a iniciativa do presidente do parlamento como uma tentativa de golpe de Estado liderada pelos Estados Unidos.

maioria dos países da União Europeia, entre os quais Portugal, reconheceu Guaidó como presidente interino encarregado de organizar eleições livres e transparentes.

/ SS