O senador republicano norte-americano Marco António Rúbio pediu ao procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, para iniciar um processo judicial contra Nicolás Maduro.

O pedido, segundo anunciou o senador através da sua conta do Twitter, foi feito através de uma carta na qual pede que seja criada uma "unidade especial" para investigar o primeiro mandatário venezuelano e “os seus amigos”.

O documento começa por explicar que Nicolás Maduro desafia ilegalmente a ordem constitucional na Venezuela para manter-se ilegalmente no cargo, situação que diz ser "uma afronta ao povo venezuelano e à democracia em todo o mundo”.

Mas infelizmente é totalmente compatível com a sua história corrupta e criminosa", sublinhou.

 

Em relação à estabilidade regional e segurança nacional, escrevo para solicitar respeitosamente que implemente todo o peso do Departamento de Justiça dos Estados Unidos para priorizar a investigação e o processo do regime de Maduro", frisou.

Na carta, divulgada pelo próprio, o senador explica que o Presidente da Venezuela e “os seus amigos” beneficiam pessoalmente de crimes contra o seu país e os seus cidadãos, enquanto "perpetua uma imensa crise humanitária".

Esses delitos, explicou, “incluem a mineração ilegal e o tráfico de minerais, o tráfico transnacional de drogas e o roubo de grandes somas de dinheiro do Governo venezuelano e a sua ocultação em contas bancárias em todo o mundo".

Maduro viola os direitos humanos de quem se opõe a ele, incluindo a detenção ilegal, tortura e assassinato de oponentes políticos. Os nossos aliados na região acusaram formalmente o regime de cometer crimes contra a humanidade. O regime de Maduro oferece refúgio a organizações estrangeiras que os EUA designaram de terroristas, como as FARC e o ELN", denunciou Rúbio.

Por outro lado, elogiou o esforço do departamento do procurador-geral dos EUA pelo trabalho realizado diariamente "para levar os criminosos perante a justiça".

O senador do Partido Republicado pela Flórida pede ainda que seja criado um grupo de investigação no Distrito Sul daquele Estado que diz não ser "alheio a empresas criminosas internacionais".

Marco Rubio é um senador que tem criticado o regime do Presidente Nicolás Maduro, apoia as sanções impostas pelos EUA contra Caracas e tem acusado Cuba de apoiar o Governo venezuelano.

Apoiante do líder opositor e presidente do parlamento venezuelano, Juan Guaidó, o senador norte-americano tem instado, em várias oportunidades, a administração do Presidente dos EUA, Donald Trump, a endurecer as sanções e medidas económicas contra a Venezuela.

Maduro ordena reabertura das pontes que ligam o estado de Tachira à Colômbia

O Presidente da Venezuela, Nicolas Maduro ordenou, na sexta-feira, a reabertura das pontes que ligam o estado de Tachira à Colômbia, que se encontravam parcialmente encerradas desde o dia 22 de fevereiro.

Em pleno exercício da nossa soberania, ordenei a abertura das passagens fronteiriças com a Colômbia no estado de Táchira”, escreveu o Presidente venezuelano na rede social Twitter.

Maduro ordenou em 22 de fevereiro o encerramento dos postos fronteiriços que compartilha com a Colômbia através de Tachira, a fim de impedir a passagem da ajuda humanitária organizada pela oposição a Nicolas Maduro.

Desde então, a faixa de pedestres de três das quatro pontes tinham acesso restrito, estando em funcionamento apenas para salvaguardar razões humanitárias.

Nos últimos anos, o Governo venezuelano ordenou o encerramento de fronteiras terrestres e marítimas em várias ocasiões, alegando suposta interferência estrangeira contra a chamada revolução bolivariana.

Venezuela faz fronteira com a Colômbia em duas outras regiões do país, onde a faixa de pedestres permaneceu aberta com as mesmas restrições que em Tachira.