O presidente da Venezuela anunciou, no sábado, que sete soldados morreram na sequência da queda de um helicóptero perto de Caracas.

Nas primeiras horas da manhã de hoje [sábado], caiu um helicóptero das forças armadas da Venezuela, provocando a morte a sete oficiais dignos da Pátria. Lamento profundamente este incidente e expresso as minhas sentidas condolências às suas famílias e amigos”, escreveu Nicolás Maduro, na sua conta no Twitter.

 

De acordo com um comunicado do ministério da defesa, o helicóptero caiu numa área montanhosa no município de El Hatillo.

O aparelho descolou de Caracas para San Carlos, a capital do estado de Cojedes (noroeste), onde Maduro, acompanhado por altos comandos militares, liderava manobras militares em El Pao, na presença de cerca de 5.300 soldados.

Foi ordenada a ativação da comissão de inquérito responsável por acidentes aéreos, a fim de realizar as investigações necessárias para determinar as possíveis causas deste acidente", acrescentou o ministério.

Sede do partido do Governo em Caracas incendiada

Indivíduos não identificados incendiaram, no sábado, uma das sedes do Partido Socialista Unidos da Venezuela (PSUV, o partido do Governo), na Avenida Lecuna, San Agustín del Norte, no centro de Caracas.

Fontes do PSUV dão conta que o ataque ocorreu pelas 03:40 horas locais (08:30 horas em Lisboa) e que o incêndio foi precedido por um "grande estrondo".

"Ouviu-se uma forte explosão e os vizinhos viram que o rés-do-chão da casa do partido estava a incendiar-se. As chamas atingiram o primeiro andar e era percetível o cheiro a gasolina", explicou a responsável da sede, Eunice Lares, aos jornalistas.

Segundo Eunice Lares, o incêndio teve lugar depois de terminar uma reunião de militantes do partido.

"Os vizinhos apagaram o fogo e de imediato denunciaram a agressão", frisou, acrescentando que no local já se encontram "oficiais da Polícia de Caracas e do Serviço Bolivariano de Inteligência (SEBIN, serviços secretos)".