Uma menina de 14 anos morreu infetada com covid-19 depois de os pais terem recusado que esta fosse ventilada. O caso aconteceu nos Estados Unidos e foi denunciado por uma enfermeira dos cuidados intensivos. 

No Twitter, Jessica escreveu que se sentiu "impotente" por não ter conseguido salvar uma "rapariga linda" que tinha o sonho de se tornar "médica veterinária". Admitiu ainda que esta jovem ainda poderia estar viva se os pais tivesse aceitado ventilá-la. 

Esta noite, impotente, acariciei e segurei a mão de uma rapariga linda de 14 anos à medida que ela abandonava este mundo. Ela estava super entusiasmada por começar o ensino secundário e, por ventura, tornar-se médica veterinária. Foi tudo tão sem sentido! Eu acredito mesmo que a podia ter salvado se os pais me tivessem deixado ventilá-la", escreveu. 

Para além disto, a menina também não estava vacinada por vontade dos pais, que estavam envolvidos em movimentos anti-vacina: "Uma vacina gratuita teria evitado tudo isto", escreveu a enfermeira. 

A vítima estava hospitalizada há nove dias, mas sofreu complicações devido ao vírus. 

Cerca de duas horas depois, a enfermeira dos cuidados intensivos dava conta de uma outra morte: uma mãe de 25 anos, grávida de 15 semanas, que recusou tomar a vacina "por causa das mentiras destas causarem infertilidade e poderem prejudicar o bebé"

O objetivo das publicações de Jessica é levar as pessoas a ouvir e acreditar naquilo que os especialistas dizem e não naquilo que leem nas redes sociais. 

Cláudia Évora