Uma mãe, de 19 anos, foi condenada, na sexta-feira, por um tribunal inglês, a nove anos de prisão pela morte negligente da filha de 20 meses, que ficou seis dias sozinha em casa.

O trágico caso ocorreu em Brighton, Inglaterra, em dezembro de 2019, mas só agora foi conhecida a sentença de Verphy Kudi, que à data dos factos tinha acabado de fazer 18 anos.

Asiah era uma criança indefesa, que dependia totalmente da mãe. É quase insuportável imaginar o seu sofrimento nos últimos dias de vida, o sofrimento que ela suportou para que você pudesse comemorar o seu aniversário e os dos seus amigos como uma adolescente despreocupada”, disse a juíza durante a leitura da sentença.

Foi, precisamente, a comemoração do seu aniversário que esteve na origem do abandono de Asiah, que acabou por morrer de fome e de gripe, segundo a autópsia.

Durante seis dias, a bebé ficou sozinha em casa, enquanto a mãe, apurou o tribunal, andou de festa em festa na zona de Londres.

Verphy Kudi, que inicialmente negou que tivesse abandonado a filha, acabou por declarar-se culpada.

O caso chocou Inglaterra e nem as autoridades policiais conseguiram esconder a forma como este "afetou profundamente" os agentes que o investigaram.

A morte de Asiah foi declarada no hospital, a 11 de dezembro de 2019. A autópsia revelou que a menina de 20 meses morreu de fome e de gripe, além de sinais de desidratação. Uma morte por negligência, concluíram as autoridades.

Na primeira vez que foi interrogada pela polícia, a mãe disse que tinha estado sempre com a filha no apartamento onde residiam, tendo as duas saído apenas uma vez para irem a Londres.

No entanto, a investigação apurou que Verphy Kudi saiu de casa sozinha a 5 de dezembro de 2019, a data do seu 18.º aniversário, tendo regressado a casa apenas a 11, precisamente cinco dias, 21 horas e 58 minutos.

Imagens e vídeos obtidos através de câmaras de videovigilância, do próprio telefone da mãe e de pessoas próximas, comprovaram a ausência da mulher e as datas precisas em que saiu e regressou a casa.

Essas mesmas imagens, onde se pode ver a mãe a sair de casa, numa festa em Londres e a regressar ao apartamento, foram apresentadas em tribunal e divulgadas pela polícia.

Depois de celebrar o seu aniversário com o namorado em Londres, Verphy Kudi foi vista num concerto dois dias depois em Elephant and Castle, no sudeste da cidade, e depois numa festa em Coventry, a 150 quilómetros de Londres.

Quando regressou a casa, a mãe telefonou para a emergência médica, dizendo que a bebé não acordava.

De acordo com o tribunal, os paramédicos disseram que Verphy Kudi apresentava-se "incoerente, angustiada e perturbada".

Asiah, que não respirava, foi transportada ao hospital pediátrico Royal Alexandra, em Brigton, onde a morte foi declarada pouco depois de ter dado entrada.

Catarina Machado