Uma das grandes preocupações dos países europeus prende-se com o turismo, mais concretamente com a livre circulação de cidadãos e como fazê-lo de forma minimamente segura.

Na semana passada, a Comissão Europeia anunciou que os cidadãos europeus já vacinadas poderiam circular entre países a partir de junho, sem a obrigação de cumprir quarentena de 14 dias.

Ora, nesse sentido, o Reino Unido vai permitir viagens de férias de verão para uma lista muito restrita de países da União Europeia, menos de 10, e entre eles encontra-se Portugal. Vamos aos detalhes.

LEIA TAMBÉM:

De acordo com o The Guardian, a ideia é adotar um sistema de semáforo, ou seja, criar-se três grupos - verde, amarelo e vermelho - e distribuir os países consoante o nível de vacinações, o nível de transmissão e ainda a presença de novas variantes do vírus. Estas medidas, bem como a lista de países, seriam revistas de três em três semanas.

Portugal, Malta e Gibraltar são fortes candidatos a integrar a lista verde. Significa isto que aos viajantes será exigido um teste negativo e não são obrigados a cumprir quarentena no regresso. 

A lista amarela deverá ser composta por Espanha e França, onde os passageiros vão ser obrigados a cumprir quarentena à chegada. 

Já na lista vermelha deverão estar países como o Brasil, Emirados Árabes Unidos e África do Sul. Neste caso, os passageiros terão de cumprir 10 dias de quarentena em hotéis indicados pelo governo britânico e serão obrigados a suportar esses custos. 

Segundo fontes ligadas ao governo britânico, este sistema dererá ser apresentado ainda esta semana, visto que está marcado um conselho de ministros para quarta-feira. Falam em "abordagem cautelosa" e "prudente".

Há pouco menos de um mês, 5 de abril, Boris Johnson disse que não iria suspender a proibição de viagens pelo menos ate 17 de maio. 

O Governo espera que as pessoas possam viajar de e para o Reino Unido para fazer férias de verão este ano, mas ainda é muito cedo para saber o que será possível”, dizia o comunicado. 

Os britânicos estão atualmente proibidos por lei de viajar para o estrageiro sem uma justificação válida, sob os poderes extraordinários que o Parlamento deu ao Governo para combater a pandemia. No entanto, está prevista que a terceira fase do plano de desconfinamento avance a 17 de maio e, por isso mesmo, sejam levantadas várias restrições. 

Boas notícias para Portugal uma vez que, com base em dados do Instituto Nacional de Estatísticas (INE), o Reino Unido manteve-se como principal mercado emissor de turistas em 2020, representando 16,3% das dormidas de não residentes, apesar do decréscimo de 78,5% face ao ano anterior.

Cláudia Évora