Moradores da região australiana de Gippsland, no estado de Victoria, foram recebidos com camadas de teias de aranha depois de a área ter sido atingida por fortes cheias.

O Serviço de Emergência do Estado de Victoria emitiu vários avisos de cheia para a área rural no início de junho, com alguns residentes instados a sair do local.

Enquanto os humanos fugiam para um lugar seguro, as aranhas também o fizeram.

O professor Dieter Hochuli, ecologista da Universidade de Sydney, disse ao canal 7News que o mar de teias de aranha não era surpreendente, dadas as condições climáticas.

"Este é um fenómeno surpreendentemente comum após as cheias", disse, destacando que “quando temos este tipo de chuva muito forte e inundações, os animais que passam as suas vidas no chão, não podem mais viver no mesmo sítio e fazem exatamente o que tentamos fazer - movem-se para um terreno mais alto”.

Hochuli disse que os aracnídeos responsáveis ​​são aranhas-de-teia, que normalmente vivem no solo.

O fenómeno é conhecido como "balonismo". De acordo com o site do Museu Australiano, o processo ocorre quando aranhas "sobem até um ponto alto na folhagem e deixam sair linhas de seda finas que eventualmente ganham sustentação suficiente para levar a aranha para cima e para longe".

Redação / HCL