“Nós temos um plano, que vou apresentar aos chefes da União Europeia durante o nosso próximo encontro”, e que prevê “um apoio financeiro massivo aos países vizinhos da Síria” – Turquia, Líbano e Jordânia –, indicou Orban, segundo extratos da entrevista revelados pelo jornal.




“E se for preciso mais dinheiro, nós aumentaremos a ajuda, até que o fluxo de refugiados se esgote. Este procedimento impede que debatamos sem fim questões orçamentais. Porque é precisa uma ajuda rápida, agora”, insistiu.




Redação / AM