O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, o seu homólogo polaco, Mateusz Morawiecki e o italiano Matteo Salvini, líder da ultradireita Liga, voltam a reunir-se quinta-feira para negociar a eventual formação de uma “nova aliança das direitas a nível europeu”.

Esta terça-feira, a agência noticiosa húngara MTI confirmou esta reunião, em Budapeste, definida como uma tentativa de criar um novo grupo no Parlamento Europeu na sequência da saída dos eurodeputados da ultranacionalista União Cívica Húngara (Fidesz) de Orbán do Partido Popular Europeu (PPE, conservadores), consumada em 18 de março, após anos de conflitos pelas políticas do Governo húngaro em torno da liberdade de imprensa e direitos humanos.

Atualmente, a Liga italiana de Salvini integra o grupo “Identidade e Democracia” (direita e extrema-direita) do Parlamento Europeu, enquanto o ultraconservador Lei e Justiça (PiS), de Morawiecki se inclui nos “Conservadores e Reformistas Europeus”.

Em declarações na passada sexta-feira ao diário digital húngaro Magyarnmzet, Salvini, ex-ministro do Interior italiano, tinha revelado estar previsto “para abril” um encontro tripartido sobre a formação de um novo partido europeu das direitas, destinado a definir as bases para uma “nova Europa”.

O Fidesz decidiu abandonar o PPE após este grupo parlamentar ter aprovado diversas emendas que facilitavam a expulsão em bloco dos eurodeputados húngaros, após considerarem que o Governo de Budapeste não respeita os valores europeus.

/ NM