Um homem, residente em Hong Kong, mas que trabalhava como formador num centro de explicações em Macau, foi detido na segunda-feira pela Polícia Judiciária (PJ) por suspeitas de violação, coação sexual e abuso sexual de menores.

Segundo a PJ, os crimes terão sido cometidos no centro de explicações a partir de 2016.

A PJ recebeu no domingo uma queixa de um dos pais de uma das crianças que frequentava o centro de explicações, mas a investigação concluiu que os crimes vitimaram, no total, cinco menores.

O explicador, de 35 anos, terá forçado os menores a práticas como sexo oral e masturbação, com recurso a ameaças.

Um juiz de instrução criminal ordenou a prisão preventiva do homem. A decisão tem "em conta a natureza e a gravidade do respetivo processo, o 'modus operandi' dos respetivos crimes e o impacto provocado pelo caso na ordem pública, no âmbito de proteção dos direitos e interesses dos menores em Macau", pode ler-se num comunicado do Ministério Público.