Um homem, de 67 anos, violou mais de uma centena de cadáveres de crianças e mulheres nas morgues de dois hospitais britânicos.

David Fuller, eletricista de profissão, confessou na última quinta-feira em tribunal ter praticado os crimes e ainda ter registado os abusos sexuais através de vídeos e fotografias. Há, pelo menos, 78 vítimas já identificadas.

Esta investigação teve início após David Fuller ter sido detido em dezembro de 2020, acusado pelo homicídio de duas jovens, em 1987, que também foram violadas após serem mortas. O crime que vitimou  Wendy Knell e Caroline Pierce esteve por desvendar durante quase 30 anos.

De acordo com a Sky News, durante as buscas realizadas à casa do agressor, as autoridades apreenderam discos rígidos com mais de mil vídeos e 34 mil fotografias que provavam os crimes que o homem veio agora a confessar.

Em algumas das imagens, é possível ver Fuller a abusar dos cadáveres, de acordo com a mesma fonte. Para além disto, o predador escrevia diários com alguns detalhes das vítimas, onde revelava, por exemplo, a idade das mulheres que violava. De acordo com os manuscritos, o agressor violou crianças entre os nove anos e mulheres, com 100.

As imagens encontradas datam de 2008, pelo que a polícia acredita haver centenas de outras vítimas por apurar. Mais de 150 agentes estão empenhados na investigação.

O homem tratava da manutenção elétrica de várias unidades hospitalares há cerca de 32 anos, usando o cartão de trabalho para aceder às morgues (que não são protegidas pelo sistema de videovigilância).

Redação / BMA