Um novo tipo de pneumonia viral com origem na cidade de Wuhan, centro da China, causou esta semana uma segunda morte, informaram esta sexta-feira as autoridades de saúde chinesas, enquanto outros cinco pacientes permanecem em estado grave.

Um homem de 69 anos morreu na quarta-feira, em Wuhan, um importante centro de transporte doméstico e internacional da China, onde a doença foi detetada pela primeira vez no mês passado, informou a Comissão Municipal de Higiene e Saúde daquela cidade.

A saúde do paciente, que adoeceu em 31 de dezembro, deteriorou-se nos últimos cinco dias, com miocardite grave [inflamação do músculo cardíaco], função renal anormal e múltiplos órgãos severamente afetados, detalharam as autoridades.

Entre as 41 pessoas infetadas com a nova pneumonia viral, cinco permanecem em estado grave.

O alerta de disseminação do vírus foi dado esta semana pela Organização Mundial de Saúde, depois de os primeiros casos detetados fora da China terem sido conhecidos, na Tailândia e no Japão, com ambos os pacientes a terem visitado Wuhan recentemente.

Os casos de pneumonia viral alimentaram receios sobre uma potencial epidemia, depois de uma investigação ter identificado a doença como um novo tipo de coronavírus, uma espécie de vírus que causam infeções respiratórias em seres humanos e animais e são transmitidos através da tosse, espirros ou contacto físico.

Alguns destes vírus resultam apenas numa constipação, enquanto outros podem gerar doenças respiratórias mais graves, como a pneumonia atípica, ou Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), que entre 2002 e 2003 matou 650 pessoas na China continental e em Hong Kong.

As autoridades chinesas determinaram que vários pacientes são vendedores num mercado de mariscos situado nos subúrbios de Wuhan, e entretanto encerrado.

 

/ RL