O surto de ébola na República Democrática do Congo já infetou mais de 400 pessoas, sendo que 231 morreram, segundo os mais recentes dados do Ministério da Saúde do país.

As autoridades registaram 403 casos, sendo que 356 foram confirmados laboratorialmente e 47 são identificados como “prováveis” por não ter sido possível ter a prova laboratorial.

Segundo os dados, atualizados no sábado, além destes casos há ainda 56 possíveis infeções em processo de investigação.

O Ministério da Saúde da República Democrática do Congo indica que cerca de 35 mil pessoas foram vacinadas com um tratamento experimental que já demonstrou resultados no passado.

O atual surto de ébola no país foi declarado dia 01 de agosto e afeta as províncias de Kivu do Norte e Ituri, tornando-se no maior surto na história do país.

No sábado, o Ministério da Saúde informou que o país vai expandir os ensaios com quatro tratamentos experimentais.

O vírus do ébola transmite-se através do contacto direto com sangue ou fluidos corporais contaminados. A infeção chega a ter uma taxa de mortalidade de 90%.

A epidemia mais forte da doença conhecida no mundo ocorreu em março de 2014, com os primeiros casos na Guiné Conacri, a partir de onde se expandiu para a Serra Leoa e para a Libéria.

A Organização Mundial de Saúde declarou o fim da epidemia em janeiro de 2016, registando mais de 11 mil mortes e mais de 28 mil casos.