Autoridades ucranianas abriram hoje uma investigação criminal depois de um comboio de passageiros da Rússia ter chegado à Crimeia, através de uma nova ponte construída na região russa, argumentando que transportava ilegalmente pessoas através da fronteira com a Ucrânia.

No início da semana, o Presidente russo, Vladimir Putin, inaugurou a ponte ferroviária para a Crimeia, que a Rússia anexou em 2014.

Vladimir Putin disse que 14 milhões de passageiros e 13 milhões de toneladas de carga deverão atravessar a ponte no próximo ano.

O comboio chegou a Sebastopol a partir de São Petersburgo, a segunda maior cidade da Rússia.

A Rússia anexou a Crimeia, antes pertencente à Ucrânia, alegando que os habitantes da península votaram para se juntar à Rússia, uma ação que provocou uma ampla censura internacional, incluindo sanções dos EUA e da União Europeia.

O Governo ucraniano disse repetidamente que a nova ponte foi construída numa clara violação das leis internacionais.

Em outubro de 2018, os promotores abriram um processo criminal contra as empresas envolvidas na sua construção. 

/ BC