O voo que estava previsto ir buscar os cidadãos portugueses e de outras nacionalidades a Wuhan, ainda não partiu de Paris, uma vez que está com um atraso de 20 horas, apurou a TVI junto de portugueses na China.

A TVI sabe ainda que a ida de portugueses para o consulado foi cancelada e o voo já não vai ser realizado esta sexta-feira, de acordo com informações da Embaixada de Portugal em Pequim fornecida aos portugueses em Wuhan.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros disse à TVI que, até ao momento, não tem quaisquer informações. Mas esta quinta-feira, Augusto Santos Silva admitiu que a “operação é muito complexa, quer do ponto de vista logístico, quer do plano diplomático”, tendo exigido uma delicada montagem e coordenação dos países europeus.

O Airbus A380, fretado pelo governo francês, saiu na quinta-feira de Beja para repatriar pelo menos 133 cidadãos da União Europeia, incluindo 17 portugueses, devido ao coronavírus.

A China informou esta sexta-feira que o número de mortos por causa do novo coronavírus de Wuhan subiu para 213 e o de pessoas infetadas para 9.692. Representam mais 43 mortos e quase mais dois mil casos de infeção em relação aos últimos dados avançados pelas autoridades chinesas.

O surto começou em dezembro na cidade de Wuhan, capital da província de Hubei, no centro da China, e na quinta-feira a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou emergência de saúde pública internacional, num momento em que a epidemia se espalhou para mais de uma dúzia de países.

Além da China e dos territórios chineses de Macau e Hong Kong, há mais de 50 casos confirmados do novo coronavírus em 19 outros países - na Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Taiwan, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, Estados Unidos, Canadá, França, Alemanha, Itália, Austrália, Finlândia, Emirados Árabes Unidos, Camboja, Filipinas e Índia.

Cláudia Lima da Costa