O Papa Francisco nomeou este domingo 13 novos cardeais, incluindo o arcebispo de Washington, Wilton Gregory, que será o primeiro afro-americano a utilizar o cobiçado barrete cardinalício.

O anúncio foi feito a partir da tradicional janela da igreja de São Pedro, com o Sumo Pontífice a anunciar que estes 13 homens serão ordenados cardeais numa cerimónia a ocorrer no próximo dia 13 de novembro.

Dirigindo-se aos fiéis, o Papa afirmou que confia nos novos cardeais para o ajudarem no seu trabalho de bispo de Roma.

A escolha do Papa Francisco foi bem acolhida pelas minorias norte-americanas, poucos dias depois de o líder da Igreja Católica ter apoiado a constituição de família por parte de casais homossexuais.

Além de Wilton Gregory, de 73 anos, foram ainda escolhidos nomes como Antoine Kambanda ou Jose Feurte Advincula, arcebispos do Ruanda e das Filipinas, respetivamente.

A agência Associated Press refere que a arquidiocese de Washington é tradicionalmente poderosa, pelo que a escolha de Wilton Gregory por parte do Papa para a dirigir, em 2019, posiciou o futuro cardeal para voos mais altos.

A escolha do Papa Francisco surge num ano fortemente marcado pela luta contra as desigualdades raciais nos Estados Unidos, sobretudo da morte do afro-americano George Floyd.

Após a notícia, Wilton Gregory afirmou-se feliz, dizendo que esta é uma oportunidade para trabalhar mais de perto com o pontificado, em prol da melhoria da Igreja Católica.

António Guimarães