Durante o fim de semana, a corrida às casas e propriedades em Xiongan, na província chinesa de Hebei, foi inacreditável. Subitamente, proprietários viram as suas habitações e terrenos serem avaliados a preço de ouro. A culpa é do governo chinês.

O executivo de Xi Jinping anunciou a criação da Nova Área de Xiongan, a nova Zona Económica Especial (ZEE) da China – com estatuto semelhante a Shenzhen e Shanghai -, a mais recente das áreas com maior independência financeira do governo central e regras diferentes para o comércio.

Como se ser uma ZEE não fosse atrativo o suficiente, Xiongan fica apenas a cerca de 100 quilómetros a sudoeste de Pequim, a capital chinesa. Depois, como explica a agência Xinhua, a nova zona vai ficar situada no centro do triângulo Pequim-Tianjin-Shijiazhuang, três metrópoles com populações de milhões (22, 15 e 10, respetivamente).

A ideia do governo é, justamente, atrair grande parte dos habitantes da capital e zonas circundantes, que devido à alta densidade populacional enfrentam graves problemas de poluição e congestionamentos de trânsito.

Xiongan terá uma área inicial de 100 Km2, que deverá ser aumentada para 200 Km2 a médio prazo e para 2.000 Km2 a longo prazo. De uma forma clara, a nova ZEE será três vezes maior que Nova Iorque.

O presidente Xi Jinping afirmou que Xiongan será uma “zona exemplo para desenvolvimento inovador, que deverá priorizar a proteção do meio ambiente e a qualidade de vida dos residentes”.

Centenas de pessoas invadiram a região para tentar comprar casas, na esperança de as vender mais tarde por preços bastante lucrativos. A corrida descontrolada acabou por forçar o governo a suspender as vendas, obrigando, mesmo, as imobiliárias a encerrar na segunda-feira.

O vídeo abaixo, da New China TV, mostra a área que será ocupada pela cidade.