A família de Robert Mugabe aceitou que o ex-presidente do Zimbabué seja sepultado no monumento dedicado aos “heróis da nação” em Harare, capital do país, disse esta sexta-feira um porta-voz dos familiares.

“Sim, eu confirmo”, disse Leo Mugabe, um dos sobrinhos do antigo presidente do Zimbabué à imprensa, após vários dias de tensão entre as autoridades e a família, que preferiam que este fosse sepultado na sua aldeia natal.

Na quinta-feira, a família do antigo chefe de estado tinha dito que Robert Mugabe seria enterrado no início da próxima semana na sua cidade, Zvimba, e não no monumento dedicado “aos heróis da nação”, alegando que foi essa a vontade manifestada pelo ex-presidente.

O corpo de Robert Mugabe, falecido na semana passada aos 95 anos, chegou ao início da tarde de quarta-feira à capital do Zimabué, Harare, onde foi recebido com honras militares pelo presidente, Emmerson Mnangagwa.

Os restos mortais do líder da independência do Zimbabué - que governou o país durante 37 anos até ser afastado do poder, em 2017 - será velado durante alguns dias na capital do país antes de ser sepultado.

Proveniente de Singapura, onde o antigo chefe de estado esteve em tratamento nos últimos meses, o avião que transportava o corpo de Robert Mugabe aterrou no aeroporto de Harare, que tem o seu nome, ao início da tarde de quarta-feira.

Após o afastamento do poder de Robert Mugabe, as relações do ex-presidente e da sua família com o seu sucessor, Emmerson Mnangagwa, que qualificam como 'traidor", deterioraram-se fortemente.

/ AG