Uma professora universitária argentina morreu em direto, enquanto dava aulas online, através do Zoom. Paola Regina de Simeone tinha 46 anos e estava infetada com o vírus SARS-CoV 2, que provoca a covid-19. Há quatro semanas que estava doente.

Paola dava aulas na Universidade Argentina de La Empresa (UADE), em Buenos Aires. Apesar de doente, dizia que queria continuar a trabalhar enquanto a saúde lho permitisse. Escreveu isso mesmo numa publicação no Twitter, há nove dias, de acordo com os jornais argentinos (as redes sociais da mulher foram, entretanto, desativadas).

Estou doente há mais de quatro semanas e os sintomas não desaparecem. Um amigo diz que está complicado. O meu marido está esgotado por trabalhar tanto neste momento: é médico e trabalha nas urgências.”

O casal tinha uma filha pequena.

Paola morreu na última quarta-feira à tarde. Depois de vários minutos a dar uma aula através do Zoom, a mulher desabafou: “Não me sinto bem. Não consigo respirar.”

Depois deste desabafo, os alunos ouviram um estrondo e deixaram de a ver. De acordo com o jornal Clarín, terá sido vítima de um enfarte.

Era licenciada em Estudos Internacionais e Ciências Políticas, especializada em Recursos Humanos. Eta professora na UADE há mais de 15 anos.

A universidade fez publicar nas redes sociais uma nota de pesar: “Paola era uma docente apaixonada e dedicada, excelente profissional e uma grande pessoa, com mais de 15 anos de trajetória na UADE. Acompanhamos a sua família neste momento difícil, fazendo-lhe chegar as nossas condolências.”

Manuela Micael