Uma advertência da Organização das Nações Unidas (ONU) de que os glaciares dos Himalaias estavam a derreter mais rapidamente do que em qualquer outro lugar do mundo e que poderiam desaparecer até 2035 está mal fundamentada cientificamente, admitiu o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC).

A informação no relatório «refere-se a estimativas pouco comprovadas sobre a taxa de derretimento e a data do desaparecimento dos glaciares», disse o IPCC em comunicado, acrescentando: «Ao escrevermos o parágrafo em questão, os padrões claros e bem estabelecidos de evidências, exigidos pelos procedimentos do IPCC, não foram aplicados correctamente.»

A falha assumida pelo painel poderá ser usada pelos chamados «cépticos do clima» para colocar em xeque a gravidade do aquecimento global. O ministro do Ambiente da Índia, Jairam Ramesh, já criticou o painel: «

A saúde dos glaciares é causa de grande preocupação, mas a posição alarmista do IPCC de que poderiam derreter completamente até 2035 não foi baseada qualquer evidência científica», disse ao «The Times of India».
Redação / FC