O primeiro-ministro italiano, Mario Monti, defendeu esta terça-feira perante a chanceler alemã, Angela Merkel, que o foco da União Europeia tem de ser o crescimento económico, apesar da crise financeira que ainda atravessa.

Numa conferência de imprensa conjunta, após conversações privadas com a chanceler alemã em Roma, Monti sustentou que a UE tem de dar a mesma atenção ao crescimento que deu à crise da dívida pública.

Também hoje, o tesouro italiano colocou 12 mil milhões de euros em Bilhetes do Tesouro, a 3 e 12 meses, num leilão que se caracterizou por uma descida acentuada dos juros e uma forte procura. Mesmo assim, Monti defendeu que ainda não é tempo para «abrandar».

Para Merkel, a União Europeia tem de crescer e ser mais competitiva, como «defende» para as economias das potências emergentes.

A chanceler alemã elogiou Monti pelas reformas «corajosas» encetadas para tirar a Itália do desastre financeiro.