O ministro das Finanças reiterou esta segunda-feira a confiança de que a economia portuguesa pode crescer mais em 2021 do que o previsto no Programa de Estabilidade, devido à fase de “viragem” e “forte recuperação” que está a observar-se.

Estamos, de facto, numa fase - e os diferentes indicadores vêm confirmar isso - de viragem, de forte recuperação [da economia] e estamos mesmo convencidos que os números que apresentámos no Programa de Estabilidade podem ser superados”, referiu o ministro das Finanças, João Leão, à margem da apresentação do programa IVAucher, que pretende estimular o consumo em três dos setores mais afetados pela pandemia.

No Programa de Estabilidade, apresentado em abril, o Governo aponta para um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 4,0% em 2021, depois de uma contração de 7,6% no ano passado.

Reagindo às previsões da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), hoje divulgadas, o ministro sublinhou o facto de estas terem sido revistas em alta e de, para 2022, esta instituição apontar para uma taxa de crescimento idêntica à do Governo (4,9%).

A OCDE, que era a instituição mais pessimista, reviu em alta os números, aproximou-se muito das previsões do Governo e para 2022 tem a mesma estimativa do Governo, de 4,9%”, indicou o governante.

Nas suas previsões, hoje divulgadas, a OCDE aponta agora para um crescimento da economia portuguesa de 3,7% em 2021. Nas projeções de dezembro, colocava a economia a crescer 1,7% em 2021 e 1,9% em 2022.

/ LF