A direção do Fundo Monetário Internacional (FMI) vai propor aos Estados-membros que a instituição acorde um novo empréstimo, de 28.000 milhões de euros, à Grécia, anunciou a diretora-geral da instituição, Christine Lagarde.

Este montante, que tem ainda de ser discutido numa reunião do conselho de administração agendada para quinta-feira, é superior ao referido até agora, de 23.000 milhões de euros.

«Consultei hoje o conselho de administração do FMI e, assim que negoceie com o governo grego, pretendo recomendar o acordo de 28.000 milhões de euros», afirmou Lagarde, em comunicado.

O Fundo pretende substituir o empréstimo acordado em maio de 2010, de 30.000 milhões de euros, dos quais cerca de 10.000 milhões estão ainda por desembolsar. A quantia que falta atribuir será integrada no novo empréstimo.

O novo empréstimo deverá ser uma linha de crédito, um tipo de empréstimo destinado aos países em dificuldades por um período de tempo prolongado.

Christine Lagarde vai propor que este instrumento seja pago em quatro anos e reembolsado durante um máximo de dez anos.

O empréstimo de maio de 2010 estende-se até 2013 e o prazo de reembolso termina em 2015.

«A amplitude e a duração do apoio do Fundo demonstra a nossa determinação em continuar empenhados», afirmou a responsável.

A Autoridade de Gestão da Dívida Pública (PDMA) da Grécia anunciou hoje que 95,7 por cento dos detentores das obrigações gregas irão participar na maior operação de reestruturação de dívida soberana da história.