Depois de ter considerado «vergonhoso» o jogo contra o Liverpool, Sérgio Conceição lamentou as lesões de Pepe, ainda no aquecimento, e de Otávio, aos 14 minutos do encontro na conversa com os jornalistas na sala de imprensa do Dragão:

«Há princípios que não são negociáveis para estar no nosso dia a dia nomeadamente a organização que temos de ter e a capacidade de sermos agressivos e intensos. Só assim podemos ombrear com estas equipas. Em quatro anos chegámos duas vezes aos quartos de final da Champions e uma vez aos oitavos. Isso é meritório.

Se como base não temos isso junto à estratégia para o jogo, se não se tenta fazer... algo está mal. O treinador não passou a mensagem. Sou o principal responsável. Houve muita coisa má. Podemos arranjar aqui algumas atenuantes ou desculpas, mas não quero ir por aí.

O Pepe lesionou-se nos últimos segundos do aquecimento. Estivemos até ontem à noite a perceber como estava. Percebi que podia ir a jogo e tracei uma estratégia. Se soubesse que ele não estava em condições tinha dito na antevisão e entraríamos de outra forma no jogo. O Fábio entrou, num jogo destes e sem minutos, e fez o melhor. Estou satisfeito com o que ele fez, não lhe podia pedir mais. 

O Otávio magoou-se e isso foi crucial. Sabem como ele é importante a equilibrar no corredor central, ainda para mais a jogar com dois avançados. No primeiro remate do Liverpool à baliza, sofremos golo. Um golo consentido. Não digo um golo de treino, porque nem no treino cometemos aqueles erros. Ao intervalo podíamos retificar, mas sofremos novo golo. Houve todas estas situações... Fizemos o 3-1 e depois há um golo que... Foram golos que já não estava habituado a ver. Este é um bocadinho o resumo do jogo.»

 

Vítor Maia / Estádio do Dragão, Porto