Fosse tecnicamente possível e este artigo começava com música.

A música!

Pelo menos para quem gosta de futebol, se há música que arrepia universalmente é o hino da Champions.

É que a Liga dos Campeões está de volta. E bem perto de nós.

O troféu chegou nesta quarta-feira a Lisboa e foi recebida com uma cerimónia organizada pela Heineken, patrocinador oficial da competição, na capital.

O evento contou com a presença de Ricardo Carvalho, embaixador da final-eight da Champions, que evidenciou a importância de ser Lisboa a receber o evento inédito e provocado pela pandemia da Covid-19.

«É uma honra para todos os portugueses receber uma competição tão importante. Já recebemos finais antes, que foram um sucesso, e a UEFA reconheceu que Portugal era o melhor país para organizar esta fase da Liga dos Campeões», começou por dizer.

O antigo central realçou que o impacto desta fase da competição terá um enorme impacto no mundo do desporto, ainda para mais, tendo em conta que as restantes grandes competições desportivas inicialmente agendadas para o verão foram adiadas.

«É ainda mais importante recebermos esta competição porque não vai haver Europeu nem Jogos Olímpicos e toda a gente vai falar do nosso país», acrescentou.

Ainda com quatro apurados por decidir – entre Real Madrid e Manchester City, Juventus e Lyon, Barcelona e Nápoles, e Bayern Munique e Chelsea – abaixo tem um esboço do que podem vir a ser os jogos que Lisboa vai acolher.

Quartos de final:

Real Madrid ou Man City - Lyon ou Juventus

Leipzig-At. Madrid

Nápoles ou Barcelona-Chelsea ou Bayern Munique

Atalanta-PSG

Meias-finais:

Real Madrid ou Manchester City ou Juventus ou Lyon - Barcelona ou Nápoles ou Chelsea ou Bayern Munique

Leipzig ou At. Madrid - Atalanta ou PSG

A verdade é que as conversas podem começar já. A «Orelhuda» já está entre nós.

E, pelo menos para quem esteve na cerimónia de receção, já música já começou a ecoar.

Só falta mesmo a bola começar a rolar.

The Champiooooooonnnss!!!

Adérito Esteves / Praia no Parque, Lisboa