A FIGURA: Corona

Duas assistências e um penálti conquistado. Basta? No caso de qualquer outro jogador, bastaria. No de Corona, espera-se sempre mais e mais. Como aquele golo que debruaria de ouro uma noite azul. O mexicano abriu o livro logo aos 4m, num cruzamento ao segundo poste para Marega, mas aos 69m haveria de nos abrir a boca de espanto com um toque de calcanhar para Díaz sentenciar o 3-0. Pelo meio, driblou, foi um «Ai Jesús» para a defesa contrária, fechou o flanco direito, mostrou apontamentos de ilusionismo intercalados por outros de sacrifício. Em suma, contagiou a equipa para mais uma grande noite europeia.

--

O MOMENTO: minuto 29. Oliveira enterra um fantasma de 11 metros

Os penáltis. Os malfadados penáltis… Hoje sorriram ao FC Porto. Se Payet falhou aos 10m, Oliveira disparou aos 29m para o 2-0. Se não resolvido, o jogo ficou pelo menos encaminhado ainda antes da meia-hora de jogo. Melhor do que isso, o FC Porto enterrou um fantasma de 11 metros que há muito tempo o persegue.

--

OUTROS DESTAQUES:

Marega

Depois de explicar que Taremi não joga por petição pública, Sérgio Conceição justificou porque Marega joga quase por decreto. Mais de um mês depois, o maliano voltou aos golos e logo na grande montra europeia. Aos 4m já encaminhava um passe de morte de Corona para o fundo da baliza e na primeira parte ainda voltou a fazer a bola beijar as redes, num lance anulado por fora de jogo. Para lá disso, voltou aos melhores índices físicos, colocando o seu poder e velocidade ao serviço do coletivo: foi o primeiro defesa portista, capaz de desgastar uma defensiva inteira.

Sérgio Oliveira e Uribe

Uma dupla nuclear no meio-campo portista. Se o português brilhou ainda mais com um golo importante de penálti, o colombiano foi também decisivo na forma como dominou cada centímetro na zona intermediária. 

Luis Díaz

O seu talento solta-se ainda mais nas noites europeias. Se em Manchester, apresentou-se com um notável cartão de visita num slalom impressionante, desta vez, sentenciou o triunfo portista com um colocado remate. Aos 23 anos, assume-se como uma das grandes promessas emergentes na competição.

Otávio e Zaidu

Carburou bem a ala esquerda do FC Porto. O brasileiro destacou-se pela sua capacidade para desequilibrar em movimentos interiores e o nigeriano destacou-se pela velocidade para romper pelo flanco, além de mostrar maior segurança a defender do que habitualmente.

--

Payet

Lembram-se do vilão da final do Euro 2016 que lesionou Ronaldo? Pois bem, o papel assenta tão bem ao internacional francês que ele parece ter dificuldade em livrar-se dele. Hoje, Payet voltou a ser vilão. Não porque tenha mandado algum adversário mais cedo para o balneário, mas porque logo aos 10 minutos enviou quase com destino ao Douro um penálti que era a ocasião soberana para o Marselha empatar.

Rongier

O médio trabalhou com Sérgio Conceição em Nantes e chegou a ser alvo para o FC Porto no defeso de 2019/2020. Acabou contratado pelo Marselha e esta noite mostrou qualidades a espaços. Entre tantas exibições abaixo da média na equipa de Villas-Boas, foi dos poucos que deu nas vistas. 

Sérgio Pires / Estádio do Dragão, Porto