O FC Porto lidera o Grupo D, com 10 pontos, o Schalke é segundo, com 8, e ambos até podem qualificar-se para os oitavos de final da Liga dos Campeões, antes de se defrontarem, às 20 horas, no Dragão, desde que no jogo que começa duas horas antes, o Galatasaray não vença o Lokomotiv em Moscovo.

Ainda assim, o técnico Domenico Tedesco hesita quando lhe falam em final no jogo de amanhã no Dragão.

«Final? Amanhã não será bem nenhuma final. Vamos defrontar o FC Porto, que é uma boa equipa, tem uma estrutura estável e individualidades que podem desequilibrar, como é o caso do Brahimi», afirmou o jovem técnico, de 33 anos, do Schalke, que não quis revelar muito sobre as suas opções para o jogo.

«Não vou desvendar a estratégia. Depende do jogo. Demasiadas mudanças reduzem a probabilidade de sucesso (...) São poucas as equipas que não se adaptam à forma de jogar do adversário. Temos de ser flexíveis», disse na conferência de imprensa que decorreu no Estádio do Dragão, acrescentando: «Os jogadores têm o jogo em casa contra o FC Porto (1-1) na memória. Fizemos uma retrospetiva e vimos o que há a melhorar. Certamente que o FC Porto fez a mesma análise.»

Tedesco explicou ainda por que a sua equipa não vai viajar para a Alemanha logo após o jogo, ficando mais um dia na cidade do Porto: «Decidimos ficar até quinta-feira porque não havia a oportunidade de voltar direto para Gelsenkirchen. É uma boa forma de regenerar energias e fazer um treino extra para os jogadores que não tiverem oportunidade de jogar.»

Sérgio Pires / Estádio do Dragão, no Porto