O V. Guimarães carimbou a passagem ao play-off de acesso à fase de grupos da Liga Europa com tuma goleada no D. Afonso Henriques (6-0) sobre o Ventspils. Depois de praticamente ter sentenciado a eliminatória na Letónia, o conjunto de Ivo Vieira geriu o jogo da 2.ª mão com classe e poder de fogo, seguindo em frente na competição de forma convicta.

Histórico: Vitória construiu triunfo folgado da sua história europeia

Faltando apenas a burocracia de carimbar então a passagem, dado o diferencial entre os dois conjuntos e a margem que o jogo em solo letão deixou desde logo patente, o jogo não aparentava oferecer problemas (tal como se veio a confirmar), mas tinha de ser carimbada a tal passagem anunciada.

Mesmo tendo um jogo pouco apelativo pela frente, uma espécie de tratar das papeladas para fazer a inscrição na próxima fase, o Vitória tratou da burocracia com entusiasmo e rubricou um bom jogo frente ao quarto classificado do campeonato da Letónia.

Face à estreia adiada no campeonato português, Ivo Vieira apresentou exatamente o mesmo onze que venceu na 1.ª mão, aproveitando para dar rotinas àquele que se aparenta ser o seu onze base. Uma intenção que, contudo, saiu furada logo aos três minutos com Joseph a lesionar-se.

Ainda assim, com André Almeida no lugar do ganês, com supremacia o Vitória assumiu as rédeas do jogo perante um Ventspils descrente. Sucederam-se os lances de perigo, os letões foram evitando o golo como puderam, mas era uma questão de tempo até ao maior poderio do Vitória dar frutos.

A resistência foi quebrada aos 28 minutos com Davidson a abrir o ativo. Apenas à terceira. O primeiro remate foi bloqueado, o segundo teve oposição do guarda-redes Kudrjavcevs e à terceira foi de vez.

No regresso das cabines, o Ventspils precisou apenas de vinte segundos para criar perigo e ameaçar o domínio do Vitória. Remate ao lado de Mykhailo, a dar um ar da sua graça por parte do conjunto da cidade banhada pelo Mar Báltico.

De rajada o Ventspils sofreu o segundo golo na resposta, com os letões a acusar em demasia este momento, sofrendo dois golos em dez minutos. Os protagonistas foram os mesmos: Davidson na assistência, Rochinha a finalizar. Nos dois golos Davidson rompeu pela esquerda, servindo depois Rochinha no corredor central.

Se a diferença era abismal, com a diferença de 6-0 na eliminatória e os diferentes estados anímicos o potencial desigual das duas equipas veio ainda mais ao de cima. João Carlos Teixeira e João Pedro saltaram do banco para chegar à mão cheia de golos na segunda parte.

6-0 no Estádio D. Afonso Henriques, a maior goleada de sempre do Vitória em jogos europeus; 9-0 no conjunto das duas mãos. Eliminatória com um confronto de forças demasiado desiguais. Jogo com classe do Vitória, a deixar boas indicações num arranque de época prometedor. Cinco jogos, cinco triunfos, quinze golos marcados e ainda a baliza a zeros. Números que empolgam a Cidade Berço.

O Vitória, já se sabe, marca presença no play-off de acesso à fase de grupos da Liga Europa, sendo que vai medir forças com os romenos do Steaua de Bucareste ou então com os checos do Mladá Boleslav.

LEIA TAMBÉM:

Todo o noticiário do Vitória de Guimarães

Todo o noticiário da Liga Europa

Bruno José Ferreira / Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães