Chidozie não pode ser utilizado pelo Boavista no dérbi da Invicta por ainda estar cedido pelo FC Porto, confirmou o Maisfutebol.

Apesar dos dragões já terem dado conta da transferência nigeriano para o Bessa no relatório referente ao primeiro semestre da época 2020/21, a mesma só se efetivará no final da temporada. Ou seja, o defesa está no plantel axadrezado na qualidade de cedido até final de 2020/21 e só assinará em definitivo no arranque do ano desportivo de 2021/22.

Segundo o Regulamento de Competições, Artigo 78.º, esta situação é legal e está prevista, conforme se pode ler no excerto que se segue. 

7. A duração mínima do contrato de cedência temporária de jogadores corresponde
ao período de tempo entre a celebração desse contrato, ou da sua entrada em
vigor, e o termo da época desportiva em que o mesmo comece a produzir efeitos,
salvo no caso da cessação antecipada para os efeitos previstos nos n.os 9 a 12.

8. Não é admissível qualquer cláusula que preveja antecipadamente a cessação do
contrato de cedência temporária antes do termo do prazo de duração mínima do
contrato de cedência temporária conforme definido no número anterior, nem que
imponha ao clube cessionário ou ao jogador o termo da cedência temporária
mediante a verificação de uma ou mais condições.






 

Vítor Maia