No jogo do tudo ou nada, o Nacional confirmou a anunciada descida à II Liga. A derrota em Famalicão acabou com a agonia da formação madeirense, que desde de divisão um ano depois de garantir o regresso ao convívio dos grandes, com a pior defesa e o terceiro pior ataque.

Manuel Machado pegou na equipa à 25.ª jornada, substituindo Luís Freire, mas não conseguiu a tão esperada salvação. Em nove jogos, o saldo é francamente negativo: perdeu sete vezes, venceu apenas uma e empatou outra.

Sem acelerar muito, já com a manutenção garantida, o Famalicão venceu com facilidade e vai para a última jornada com a possibilidade de chegar a um lugar europeu. Ivo Rodrigues abriu o marcador no primeiro tempo, Iván Jaime aumentou a contagem já na segunda metade e Valenzuela selou o placard.

Faltou emoção na 1.ª parte

Um longo bocejo foi a primeira parte até ao minuto 39, altura em que o Famalicão abriu o marcador. Até lá, os motivos de interesse foram nulos e a qualidade do jogo foi baixa. Com os madeirenses a precisar desesperadamente de pontos, esperava-se que a turma orientada por Manuel Machado pegasse nas rédeas da partida e fossem em busca do golo.

O treinador o Nacional fez apenas uma alteração no onze que defrontou o Benfica, trocando Éber Bessa por Rúben Micael. Ivo Vieira afinou pelo mesmo diapasão e também mudou apenas um jogador que havia sido titular no triunfo em Guimarães. Diogo Queirós, castigado, foi rendido por Riccieli.

Os famalicenses tiveram sempre mais bola durante o primeiro tempo, mas os processos eram lentos e eram facilmente desarmados. A turma insular tentava ser mais objetiva, no entanto também não conseguia criar real perigo junto da baliza local.

A exceção que confirmou a regra surgiu aos 39 minutos. Rúben Vinagre trabalhou bem na esquerda, deu em Gil Dias e este colocou à entrada da área em Ivo Rodrigues. O extremo famalicense rematou colocado, de pé esquerdo, e abriu o marcador. Tudo fácil para a turma anfitriã.

Iván Jaime matou esperança madeirense

Manuel Machado não gostava do que via e, após o descanso, fez duas alterações de uma assentada, desfazendo a defesa a três e passando a ter uma frente de ataque com três homens. Aliás, a conversa ao intervalo foi curta, já que o técnico nem dez minutos esteve no balneário.

Ainda assim, as substituições não surtiram efeito e o Nacional continuou a não conseguir chegar com perigo à baliza contrária. Por isso, o técnico dos madeirenses voltou a mexer. A equipa despertou um pouco e Gorré ficou perto do empate, valeu a defesa do jogo de Luiz Júnior a impedir o tento.

Do outro lado, o Famalicão foi bem mais eficaz. Acabado de entrar, Iván Jaime recebeu o esférico à entrada da área e rematou rasteiro para o segundo. O Nacional sentiu o golo e atirou a toalha ao chão e, logo de seguida, voltou a sofrer. Ivo Rodrigues arrancou na esquerda e deu atrasado para Valenzuela, também acabado de entrar, fazer o 3-0.

Estava consumada a vitória para o Famalicão e confirmada a descida do Nacional à II Liga.

Nuno Dantas / Estádio Municipal de Famalicão