O Sporting de Braga deixou os escombros do Castelo de Santa Maria da Feira a olhar para o terceiro lugar, depois de vencer o despromovido Feirense (2-0).

Não há pior sentimento do que descer de divisão. O sangue parece que deixa de correr, a alma fica vazia, a alegria desaparece e entrar no campo torna-se um suplício. A resistência fogaceira acabou com o triunfo do Desportivo das Aves em Guimarães e o Castelo da Feira ruiu por completo. De resto, já há muito isso prometia acontecer.

Esgaio indicou o caminho aos minhotos para sair com o triunfo de um sítio sombrio e fundo, Fransérgio e Horta aproveitaram para ser protagonistas.

FICHA E FILME DO JOGO

A superioridade dos minhotos foi indiscutível. Ao intervalo, o domínio do conjunto de Abel era mais que evidente (12-3 em remates) e apenas a falta de eficácia e Caio impediram a vantagem.

Com sistemas diferentes durante todo o jogo, o Sporting de Braga foi quebrando a organização contrária. Após vinte minutos jogados a um ritmo lento e sem grandes oportunidades, Fransérgio fez tremer o poste da baliza de Caio (20'). Logo de seguida, Paulinho ficou perto de assinar um golo de belo efeito (20').

A única oportunidade flagrante do Feirense pertenceu a Valencia, mas a tentativa de chapéu desastrada nem incomodou Tiago Sá (30'). Enfim, quando tudo está mal, só pode correr pior.

O Sporting de Braga carregou para chegar à vantagem. Contudo, Wilson desperdiçou um zona privilegiada (36'). O golo demorou no primeiro tempo nem tanto no segundo. Aos 25 segundos, sim leu bem, 25 segundos os minhotos já venciam por 1-0. Bruno Viana lançou Esgaio que cruzou para o cabeceamento certeiro de Fransérgio.

O Feirense virou um vagabundo, entrou em agonia completa e ficou à mercê do Sporting de Braga que podia ter construído um resultado confortável e evitado sobressaltos. Horta, por exemplo, ficou a centímetros do 2-0 (50') e, depois, Fransérgio bisou (53'), mas o lance foi anulado por posição irregular de Wilson Eduardo.

Filipe Martins cumpriu o seu papel e agitou a equipa a partir do banco. Lançou Steven para o lugar de Tiago Mesquita e búlgaro ameaçou o empate. Porém, adiantou em demasia a bola e permitiu a Tiago Sá agarrar (68').

Pouco depois, Tiago Silva obrigou o guarda-redes contrário a defesa apertada (71'). Foram os minutos em que os jogadores mostraram o orgulho ferido. Ainda assim, esteve longe de ser suficiente para sequer colocar em causa a vitória do Sp. Braga.

Os bracarenses fizeram o 2-0 numa jogada semelhante àquela que deu o primeiro golo. A diferença esteve no cruzamento de Esgaio, desta feita rasteiro, e no marcador do golo, já que foi Horta a festejar.

O Sporting de Braga esbanjou lances prometedores para ampliar o marcador quer por má definição dos seus jogadores, quer por falta de acerto na finalização.

28 jogos sem vencer, resta ao Feirense continuar à espera que o carrasco trate de executar a sentença decretada no passado sábado, enquanto os guerreiros do Minho seguem a três pontos do Sporting e bem vivos na luta pelo pódio.

Vítor Maia / Estádio Marcolino de Castro, Santa Maria da Feira