A FIGURA: GONZALO PLATA

Andou quase uma época a ser polido para a alta-roda, mas agora que cá chegou parece estar há muito tempo a atuar a este nível. Pôs a cabeça em água a qualquer jogador que lhe aparecia pela frente, sobretudo a Neris, o central do lado esquerdo dos axadrezados. Assistiu Sporar para o 1-0 na marcação de um livre lateral, marcou um golo que lhe foi anulado numa jogada que ele próprio forjou e assinou o segundo dos leões numa execução sublime de primeira com o pé esquerdo. Tudo isto numa primeira parte de alta-voltagem. Não se exibiu ao mesmo nível na etapa complementar, mas não deixou de ser um perigo apontado à baliza de Helton Leite: viu Ricardo Costa negar-lhe mais uma arrancada na área boavisteira (num lance revisto pelo VAR) e esteve perto do bis à entrada para os derradeiros dez minutos.

O MOMENTO: golo de Sporar. MINUTO 13

Foi o abre-latas do sucesso do Sporting num jogo que poderia vir a tornar-se perigoso para o Sporting se o avançar do relógio não fosse acompanhado de golos. A partir daí, a equipa de Silas arrancou para uma exibição sólida.

OUTROS DESTAQUES:

Sporar: o primeiro golo com a camisola do Sporting chegou apenas ao quinto, mas ao avançado esloveno não falta instinto. Sirvam-lhe com distinção e ele está lá para fazer o que melhor sabe. Inaugurou o marcador com uma finalização oportuna. Pode ainda vir a dar mais à equipa, mas o registo de dois golos nos últimos dois jogos parecem serem promissores.

Wendel: a qualidade é um condimento indispensável para se ter sucesso no futebol, mas só isso não basta. Ao médio brasileiro não lhe falta isso, mas falta-lhe o equilíbrio emocional que lhe permita exibir-se a um nível elevado com mais regularidade. A saída de Bruno Fernandes vai obrigá-lo a ter um papel com outro peso no meio-campo do Sporting e hoje mostrou ter capacidade para cumprir com distinção. Protagonizou uma arrancada estonteante num contra-ataque que só não teve sucesso porque Plata falhou no último passe para Sporar.

Fabiano: o elemento mais estável do setor defensivo dos axadrezados. Negou o 2-0 a Vietto com um corte em cima da linha de golo numa jogada na qual Plata ainda introduziu a bola na baliza boavisteira, mas em posição irregular. Na segunda parte, quase borrava a pintura aos 75 minutos, quando tentou driblar dois adversários sem espaço para isso e sem cobertura dos companheiros.

David Marques / Estádio José Alvalade, Lisboa