O Sp. Braga voltou aos triunfos e ao quarto lugar. Depois da derrota na final da Taça da Liga, os arsenalistas derrotaram o Gil Vicente no dérbi minhoto (1-0) com um golo de Iuri Medeiros já na reta final do encontro, encurtando a distância para o terceiro lugar.

Num jogo em que por vezes falhou paciência, o espectro do empate pairou na pedreira. O Sp. Braga, que manteve apenas três jogadores no onze do último jogo, apareceu sem criatividade e esbarrou num Gil Vicente bem organizado.

Da marca dos onze metros Paulinho fez a baliza estremecer ao acertar no ferro e adensou as dúvidas, mas o mesmo Paulinho que desperdiçou o castigo máximo assistiu Iuri Medeiros para o golo bracarense que faz a equipa de Carlos Carvalhal recuperar o quarto lugar e, mais do que isso, aproximar-se do pódio.

Sem paciência e nem de penálti

Faltou paciência ao Sp. Braga na primeira fase do jogo. A jogar perante um Gil Vicente com linhas cerradas e sem grande espaço entre elas, os bracarenses assumiram as despesas do jogo, dispuseram de longas trocas de bola, mas sem grande progressão no terreno de jogo.

Sem soluções, a equipa de Carlos Carvalhal acabou por apostar em passes longos, várias vezes diretamente pela linha de fundo. Ciente das dificuldades, os barcelenses viram em cada contragolpe uma oportunidade de se soltar e tentar usar das suas armas.

A verdade é que foi conseguindo. Não criou perigo, mas, num jogo morno, as aproximações à baliza adversária começaram por ser mais acutilantes do lado da equipa de Ricardo Soares. Sem a tal paciência, nem de penálti os bracarenses traduziram a sua supremacia em golo.

Ygor Nogueira foi imprudente e varreu Galeno na área, aparentemente sem necessidade, mas na cobrança do castigo máximo Paulinho atirou com estrondo à base do poste. Na recarga Galeno tirou tinta da trave.

Paulinho lança a penitência

O avançar do cronómetro acentuou a tendência e na segunda parte o cerco bracarense foi mais apertado. Mais enérgica também a pressão da equipa de Carlos Carvalhal, continuando, ainda assim, órfão de situações de real perigo.

A linha de três defesas do Gil Vicente que estava na teoria do papel rapidamente se transformou num bloco formado por cinco elementos, dificultando ainda mais a tarefa arsenalistas. Ao mesmo tempo a manta ia ficando curta para o contragolpe.

Praticamente a um quarto de hora do minuto noventa, Paulinho lançou a sua penitência isolado Iuri Medeiros para o golo do Sp. Braga. Trabalho exímio do avançado a servir Iuri Medeiros, que na cara de Denis atirou de pé esquerdo para o fundo das redes.

Em desvantagem, o Gil Vicente forçou como pôde no último quarto de hora, mas não teve capacidade para por em causa o triunfo do Sp. Braga, que reage da melhor forma à derrota na Taça da Liga, galgando terreno no campeonato.

Bruno José Ferreira / Estádio Municipal de Braga