António Fiusa vai pagar a promessa feita aos sócios, em 2016, com juros. Na altura, à porta da sede da Liga, o agora presidente honorário do Gil Vicente prometeu fazer uma grande festa para os sócios e simpatizantes do clube e matar dez porcos, um por cada ano de espera para a resolução do caso Mateus. «É obvio que agora, passados três anos, em vez de dez vão ser 13 porcos», disse António Fiusa, esta sexta-feira, em conferência de imprensa.

Acompanhado pelo atual presidente do clube barcelense, Francisco Dias da Silva, Fiusa lembrou que a festa para comemorar o regresso dos gilistas à I Liga «não é contra ninguém, é em prol do Gil Vicente e dos barcelenses». «Já toda a gente sabe quem fez mal ao nosso clube e vou esquecer essa gente. Mas há um, que quando morrer, vou usar uma gravata vermelha. Não sou hipócrita. Usaram uma bomba atómica para matar uma formiga, que era o Gil Vicente, e isso não tem perdão», salientou o ex-presidente.

https://www.youtube.com/watch?v=sw_DoMd4jyw

António Fiusa afirmou, ainda, que não convidou ninguém da Liga nem nenhum clube porque a maioria «votou sempre contra a reintegração do Gil Vicente». «Até este ano já se estavam a preparar para que o Gil não subisse», ressalvou. O ex-presidente recordou, ainda, que falta decidir a indeminização dos gilistas, mas já deixou o aviso: «Não aceitamos esmolas! O caso do Boavista não é o caso do Gil Vicente. Nós temos de ser ressarcidos com dignidade. E quem está a falar é o ex-presidente e não a atual direção, mas tenho falado com Francisco Dias da Silva e ele é da mesma opinião», atirou.

A festa realiza-se no próximo domingo, entre as 15 e as 20h00, junto ao Estádio Cidade de Barcelos. Conta com a animação musical de Quim Barreiros e, tal como prometido, haverá 13 porcos no espeto e «algum champanhe».

Nuno Dantas