FIGURA: Mehdi Taremi

Se lhe disséssemos que a figura do jogo foi D. Sebastião, não seria totalmente descabido. Num jogo com tanto nevoeiro, coube a Mehdi Taremi o papel de surgir no meio do nevoeiro para resgatar a honra do convento. Depois de ter sido poupado no início devido a uma entorse no tornozelo, o avançado de 27 anos foi lançado ao intervalo e demorou pouco mais de dez minutos a fazer a igualdade no marcador. Depois do hat-trick na 3.ª jornada, o internacional iraniano voltou a marcar: leva cinco golos em nove jogos pelos rioavistas.

--

MOMENTO: Minuto 30’. Raide de Luther Sing

Cinco minutos depois da ameaça, um golaço. O extremo sul-africano recebeu sobre a direita, entrou na área, sentou Matheus Reis e Aderllan e disparou um petardo de pé esquerdo sem hipóteses para Kieszek. Depois de dois golos na época passada durante o empréstimo ao Chaves, Luther Singh, cedido pelo Sp. Braga, apontou o terceiro em apenas nove jogos nesta temporada pelo Moreirense.

--

OUTROS DESTAQUES:

Diego Lopes

Uma, duas, três… À medida que o jogo avançava, iam-se contando as oportunidades criadas pelo médio-ofensivo do Rio Ave. Boa parte do jogo ofensivo rioavista passou pelos seus pés, mas esteve infeliz a finalizar.

Carlos Mané

Foi determinante no o momento, ao intervalo, em que Carlos Carvalhal arriscou e colocou o extremo ex-Sporting a fazer todo o flanco direito. Na segunda parte, o jogo foi de sentido único e Mané muito contribuiu para isso. Dos seus pés saiu o golo do empate apontado por Taremi.

--

Iago

O central do Moreirense esteve em todas. A defender mostrou segurança e até deu o corpo às bolas, por exemplo num remate de Diego Lopes. Na frente, esteve perto do golo. Em particular num cabeceamento à passagem da meia-hora de jogo que obrigou Kieszek a defender em cima da linha de golo.

Luther Singh

O extremo sul-africano foi um diabo à solta pelo flanco direito do ataque do Moreirense. A sua velocidade e drible curto eram sinónimo de perigo iminente. Aos 25m, encheu o pé e fez a bola rasar o poste. Cinco minutos depois, um golaço. Recebeu na direita, sentou Matheus e Aderllan e estourou de pé esquerdo para o fundo da baliza. Um golaço.

Mateus Pasinato

O Moreirense bem pode agradecer ao seu guarda-redes por ter conseguido conservar um ponto nesta deslocação a Vila do Conde. Pasinato foi decisivo num par de ocasiões para suster o ímpeto riovista.

Sérgio Pires / Estádio dos Arcos, Vila do Conde