A derrota do Boavista diante do Tondela, por 3-2, no início do mês de novembro, levou a que um adepto dos axadrezados escrevesse uma carta dirigida aos jogadores e equipa técnica do clube. Na carta endereçada ao plantel do Boavista, o adepto e sócio, Emanuel António Dias, manifestou total apoio ao clube do seu coração, apesar da mágoa que sentiu pela derrota e apelou à mística do clube.

«(…) Hoje muito mais de que um simples sócio, falo-vos como amante deste meu clube para que em vós surja o grito indomável da nossa família. Não sei muito bem o que vos dizer sobre este último jogo. Ainda está tudo muito fresco. Dói por dentro como já não doía há muito... e não sei explicar bem porquê, mas hoje custou demasiado. Como doeu ver aquela reviravolta. Como doeu ver toda a nossa massa associativa a passar da alegria à tristeza sem perceberem muito bem o que estava a acontecer. Como doeu ver todo o vosso esforço a cair por terra. Como doeu ver a sua cara de sofrimento, Mister. Como doeu ver nos vossos rostos a vontade de querer muito mais e de terem que lidar com uma realidade que não estavam à espera, mas é neste ponto que eu quero pegar. Acredito que em vós esteja uma mistura de sentimentos que passam da tristeza à frustração, mas nada está perdido. São esses mesmos sentimentos que vos têm que levar a batalhar ainda mais!Aliás, não vos escrevo porque vivemos momentos complicados, escrevo, isso sim, para que sintam através da minha escrita de que não estão sós e que tal como nas vitórias, também sofro convosco as derrotas. É preciso que agora, mais do que nunca, acreditem em vós e neste acreditar dirijo-me também para o nosso Mister Jorge Simão. Acredite Mister, não tenha medo. Acreditem pessoal. Continuem. Não desistam! E verão que conseguirão transformar toda essa raiva numa vontade de vencer que vos levará a colocar as garras de fora e a enfrentarem qualquer presa olhos nos olhos.Com o vosso querer e ambição, seremos sempre Boavistão!», pode ler-se na carta.

Ora, volvidas duas semanas, o sócio obteve uma resposta, diretamente de Jorge Simão, técnico dos axadrezados. O treinador agradeceu o apoio, assumiu que ficou sensibilizado com a carta e que, por isso, fez questão de a mostrar a todos os elementos da equipa.

«Quero começar por agradecer as suas palavras. Fiquei muito sensibilizado pela sua carta e daí ter feito questão de a mostrar ao plantel e à minha equipa técnica. É importante sentirmos o apoio mesmo quando as coisas não correm como gostaríamos. Nós trabalhamos sempre com ambição e muito afinco, por nós, pelo clube e pelos adeptos, por mais que pareça um lugar-comum, todos nós temos noção que são a verdadeira força deste clube. Da nossa parte, daremos sempre o máximo para dignificar este emblema para não sermos um Boavista só com passado, mas também um Boavista com futuro. Da minha parte, e de todo o balneário, deixo um agradecimento pela carta e por todo o apoio que nos chega por diversas formas», lê-se na resposta de Jorge Simão, devidamente assinada pelo próprio.

Vítor Maia