Figura do jogo: André Franco

Aí vão cinco golos na Liga e mais uma exibição em cheio. Jogou nas costas de Rui Fonte, mas sacrificou-se acima de tudo em nome da equipa, procurando manter o equilíbrio na zona central, como complemento a Rosier, quando Gamboa recuava, ou caindo mesmo para as alas, quando Arthur e Bruno Lourenço procuravam zonas mais interiores. Acabou por beneficiar do facto de jogar solto para fugir à marcação, lançado por Rosier, e desbloquear o marcador numa altura crucial do jogo com um remate com o pé esquerdo.

Momento: golo de Bruno Lourenço

Minuto 72. Paulo Sérgio tinha acabado de mexer a fundo na sua equipa, nos momentos que se seguiram ao primeiro golo do Estoril, preparando a sua equipa para um novo jogo, quando Bruno Lourenço, deu velocidade a uma transição dos canarinhos e fez o segundo golo. A partir daqui, o Portimonense tinha uma montanha ainda mais íngreme para escalar.

Outros destaques:

Moufi

Grande jogo do lateral marroquino que deixou tudo em campo e saiu de mãos a abanar. Já tinha estado em especial destaque na primeira parte, tal com o Fali Candé, no lado contrário, com inúmeras descidas pela ala até à área do Estoril. Arrancou inúmeros cruzamentos perigosos e, já na ponta final, contou com duas oportunidades soberanas para marcar, com destaque para uma bomba que foi devolvida pela trave. Merecia melhor sorte.

Rosier

Um jogo também de sacrifício pela equipa, em constantes compensações, ao longo de todo o jogo, cobrindo o recuo de Gamboa, permitindo maior capacidade de atuação a André Franco. Acabou por fazer a assistência, com um passe de primeira, para o primeiro golo dos canarinhos.

Daniel Figueira

Este jogo também fica marcado por uma defesa impossível do guarda-redes do Estoril, já na ponta final do jogo, quando o Portimonense arriscou tudo à procura de, pelo menos, um golo. Uma grande defesa por instinto a uma cabeçada de Lucas Fernandes.