João Ferreira, Morato, Gonçalo Ramos, Henrique Araújo, Tiago Araújo.

Jorge Jesus garante confiar no potencial de todos os jovens jogadores da equipa B que têm trabalhado às suas ordens nesta época.

Questionado diretamente sobre a situação de Gonçalo Ramos, que nos últimos jogos que fez pela equipa secundária jogou mais longe da área, o treinador das águias falou também sobre os restantes jogadores ‘made in’ Seixal.

«Todos os jogadores que subimos da equipa B têm vindo a trabalhar comigo, vão depois jogar à equipa B. Trabalham comigo durante a semana e depois damos-lhes competição. Mas quanto à posição do Gonçalo, é o treinador que decide, neste caso o Nelson Veríssimo», começou por dizer, antes de defender acreditar que será como ponta de lança que o internacional sub-21 se vai afirmar.

«Face às características do Gonçalo Ramos e do Henrique, acho que ele o Gonçalo pode jogar como um segundo avançado, enquanto o Henrique [Araújo] é um pouco mais fixo. O Gonçalo pode fazer as duas posições, mas acho que no futuro se vai afirmar mais como avançado de área», começou por dizer.

Numa conferência em que foi dado muito destaque aos jogadores da equipa B que têm trabalhado com o plantel principal, Jesus deixou no ar a possibilidade de não se virem a estrear na equipa principal ainda nesta época, devido à qualidade dos jogadores que têm à sua frente.

«O Tomás Araújo não tem treinado tantas vezes connosco como o Morato, que trabalha diariamente comigo. Mas o Tomás tem qualidade e é muito evoluído tecnicamente. Mas os jogadores fazem-se com o tempo. Tirando exceções, os miúdos precisam de tempo de trabalho para trabalhar para os formar», defende.

Já sobre Henrique Araújo, ponta de lança que leva oito golos em 21 jogos na II Liga, e outros oito golos em oito partidas pelos sub-23, Jesus elogia a capacidade que mostrou de aproveitar o espaço lhe foi dado devido à chamada de Gonçalo Ramos à equipa principal.

«O Henrique ainda tem idade de júnior e tem vindo a aproveitar bem esta possibilidade de o Gonçalo Ramos trabalhar com a equipa principal. Tem sido o goleador da equipa B e tem mostrado que é um jogador a ter em conta. Há quem diga que ele tem um pouco o estilo do Pauleta, que é conterrâneo dele [na verdade, Henrique Araújo é natural da ilha da Madeira], realmente, tem coisas parecidas com ele», realça.

A todos eles, porém, Jesus deixa um aviso: é preciso saber esperar por uma oportunidade. Algo que o técnico lamenta que nem todos saibam fazer, quando questionado sobre quais destes jovens jogadores vê com mais potencial para terem futuro na equipa principal das águias.

«Ao escolher cinco jogadores para trabalhar na equipa principal, já os estamos a preparar para um futuro na equipa principal. Há alguns com mais possibilidades do que outros, mas há momentos numa época em que podem surgir oportunidades para os lançar», começou por dizer.

«Destes jogadores, falámos em dois centrais.  O Benfica tem quatro centrais, dois deles internacionais, um pela Bélgica e outro pela Argentina. Ou seja, é uma posição que está bem preenchida em termos de qualidade e quantidade. Depois há jogadores que podem aparecer. Todos terão a sua oportunidade», acrescentou, antes de deixar um recado.

«Quando fazemos esta transição para a equipa principal, saber esperar é fundamental. Mas sabemos que há muitos interesses. E os agentes começam a meter coisas na cabeça dos miúdos e eles vêm com o ‘se não jogo, prefiro sair’. E às  vezes, há jogadores que perdem as carreiras por não saberem esperar», lamenta.

[artigo atualizado]

Adérito Esteves / Benfica Campus, Seixal