Pinto da Costa, presidente do FC Porto, analisa a vitória na Luz, em jogo da 30ª jornada da Liga (0-1):

«Festejámos a vitória, naturalmente, mas nada está decidido. Se houve uma equipa que jogou para ganhar, que fez as substituições para tal, é indiscutível que foi o FC Porto. Foram duas equipas dignas uma da outra, mas o FC Porto teve mais ambição e foi premiado por isso com um golo aos 89 ou 90 minutos. Foi uma vitória merecida. Vamos fazer tudo para manter a liderança, pois é inteiramente justo o lugar que ocupamos, pelo campeonato que temos feito.»

[o mais difícil está feito?] «O mais difícil é o que falta fazer. O que está feito, está feito.»

[qual foi o segredo?] «Foi acreditar que íamos chegar à vitória e jogar para ganhar. É indiscutível. Vocês viram pelas substituições. O nosso adversário tentoui segurar o resultado, e nós fizemos substituições pata tentar vencer, Fomos premiados. Nem sempre se consegue, mas foi o resultado da nossa ambição, daquilo que foi trabalhado psicologicamente e taticamente. Os jogadores acreditavam, estavam confiantes, e quando uma equipa vê o que o Sérgio fez para ganhar, empolga-se.»

[sobre Herrera, que tinha ficado associado ao empate do Benfica no Dragão, em 2016/17] «Não é preciso dizer o que pensamos do Herrera, pois é o capitão deste grupo com jogadores extraordinários. Isso diz tudo. A confiança que temos nele, aquilo que os colegas e os adeptos pensam dele. Foi justo ser o Herrera a marcar, e que golo.»

[ficou satisfeito com a nomeação de Soares Dias?] «Não fiquei satisfeito nem deixei de ficar. Não tenho qualquer influência nisso. Acho que foi normal. Se é considerado o melhor árbitro português, era natural que fosse ele. E vocês faziam essa previsão. É normal ser nomeado para este jogo o melhor árbitro português.»

[agora vem o jogo com o Sporting...já estão a pensar na dobradinha?] «Não estamos a pensar em dobradinhas, pensamos jogo a jogo. O Sporting tem uma grande equipa, um grande treinador. Sabemos que será difícil, a nossa equipa está desgastada, mas vamos entrar para ganhar, como aqui.»

Nuno Travassos / Estádio da Luz, Lisboa