Nélson Veríssimo, treinador interino do Benfica, analisa a vitória sobre o Boavista, para a 29.ª jornada da Liga:

«O Boavista teve uma boa entrada, mas tivemos entrega, compromisso e intensidade. O jogo foi um pouco dividido nessa fase inicial. O golo no início deu tranquilidade para fazer uma exibição consistente e dominadora.»

«Nos jogos anteriores também criámos situações em que podíamos ter marcado. Hoje aconteceu aos 13 minutos, numa altura em que o jogo estava muito dividido. Essa foi a principal diferença. Esta vitória é dos jogadores, do Bruno (Lage), do Jhony (Conceição) e do Alexandre (Silva).»

[o problema estava em Bruno Lage?] «Não, de maneira nenhuma. Os jogadores estiveram sempre com o Bruno, assim como toda a estrutura. Foi uma questão de eficácia. Recordo-me do jogo com o Tondela, que tivemos seis ou sete oportunidades. Com o Marítimo a mesma coisa.»

[subscrevia todo o trabalho de Bruno Lage, ou o Nélson tem ideias diferentes?] «Eu pertencia à equipa técnica do mister Bruno Lage, que é meu amigo, e obviamente subscrevo as coisas. Fiz parte dessa equipa técnica, sou tão responsável pelas boas e más decisões quanto ele.»

Nuno Travassos / Estádio da Luz, em Lisboa