Rúben Amorim, treinador do Sporting, em declarações na sala de imprensa do estádio do Bessa, após o triunfo por 2-0 frente ao Boavista, em jogo da 15.ª jornada da Liga:

«Entrámos bem e tivemos sempre o controlo do jogo. Demorámos a criar situações para marcar porque o Boavista defendia com uma linha cinco, três médios e dois avançados que tapavam muito os espaços. Quando conseguimos criar uma situação, marcámos o golo e o jogo tornou-se mais simples. O Boavista teve de pressionar mais um pouco e tivemos espaço para jogar. Poderíamos ter ido para o intervalo com o jogo resolvido. 

Fizemos o segundo pelo Porro na segunda parte. Ele chuta bem e estava bem posicionado. Fez um grande golo e está de parabéns. O Porro e o Nuno Mendes são jogadores muito importantes. O Nuno esteve muito em jogo porque teve muito espaço. O lateral do Boavista batia muito com o Nuno Santos e isso deu-lhe espaço. Depois tem a ver como voltou das lesões. Houve alturas em que treinou lesionado, parou, jogou e lesionou-se outra vez. Lembro-me de um jogo em que entrou e teve de sair. Depois é o rendimento, com a capacidade física e com a maturidade. O Porro é igual. São ambos miúdos. O Nuno tem 18 anos e o Porro tem 21. Isto só aparece com os jogos. São imprescindíveis como todos os outros.»

[Sobre o cartão amarelo a Palhinha que o impede de defrontar o Benfica]: «Estão aí as imagens. Às vezes as imagens valem mais do que mil palavras. Não quero comentar essa situação. Quero realçar o excelente jogo que o Matheus fez com o João ao lado. Estão de parabéns.»



 

Vítor Maia / Estádio do Bessa, Porto