Daniel Ramos, treinador do Boavista, analisa a derrota com o Benfica, na Luz, para a 29.ª jornada da Liga (3-1):

«Tivemos uma entrada muito boa, a pressionar alto. Até ao golo foi o Boavista mais ativo, com uma aproximação à baliza do Benfica. Foi pena termos sofrido o primeiro golo sem o Benfica fazer por merecer. Isso muda um bocadinho as coisas. Deu tranquilidade ao Benfica, e nós acusámos um pouco esse golo. Perdemos um pouco de confiança, cometemos mais erros. Uns forçados, outros por culpa própria. Se calhar arriscámos em excesso em zonas onde não devíamos. O 3-0 muito perto do intervalo fez com que a equipa sentisse que o jogo estava praticamente perdido. Ao intervalo desafiei a equipa a ganhar a segunda parte. Agora no final dei-lhes os parabéns. Vale o que vale, mas conseguimos esse objetivo. Jogámos mais o jogo pelo jogo, tivemos mais bola, mais ocasiões de golo. A equipa esteve bem, não fugiu à responsabilidade. O Boavista tentou, e é assim que se faz crescer também uma equipa. Testar a capacidade da equipa frente a adversários mais fortes. É este o nosso caminho e fizemos uma exibição razoável.»

[sobre o lance do primeiro golo, com o choque entre Helton Leite e André Almeida] «Ainda não vi nenhum lance. Não posso adiantar muito mais. faz parte do jogo. Por vezes acontecem erros. Os jogadores e os treinadores também erram. Não sei se é falta ou não. Só lhe perguntei se estava bem, pois ficou queixoso.»

[sobre a postura do Benfica com Nélson Veríssimo, que substituiu Lage interinamente] «Não notei grande diferença, sinceramente. Os processos e as dinâmicas foram muito idênticas. O Benfica teve foi mais eficácia do que noutros jogos, e também cometeu muitos erros.»

[sobre Helton Leite, que está prestes a rumar ao Benfica] «Não vou tecer mais comentários. Já disse que sim [que tem qualidade para um patamar superior], que é um grande guarda-redes, que merece tudo de bom. Ele, como o Bracali, que também me merece todo o respeito. São grandes profissionais. O Boavista está muito bem servido de guarda-redes.»

«Hoje lançámos mais um jogador da formação. O Luís (Santos) é o primeiro ano de sénior. É com satisfação que, aos poucos, damos estas oportunidades, pois este é o futuro do Boavista.»

Nuno Travassos